sábado, 5 de setembro de 2009

Eu e Você

Eu, apenas peco, que na noite,
De lua crescente, traga o perfume,
Da mulher que rouba o meu sono
E com ele os meus pensamentos

Você, deve estar dormindo,
Sonhando com algo prodigioso,
A lhe roubar seu sono.
Sua alma descansa também!

Eu, não tenho tudo que quero,
Mas tenho tudo que posso ter.
Assim que eu busco a paz de espírito
Que tanto atormenta o meu ser...

Você, tranqüila e serena, segue a vida.
Sem nenhum pesar leviano.
Sem saber que causa tanta dor ao um homem
Por sua simples existência!

Eu, ainda estou aqui, tentando pregar os olhos,
Tentando parar de pensar em ti.
Escrevendo palavras bobas,
Buscando uma formula mágica pra te esquecer!

Você, um dia verá essas palavras.
Verá que nesse poema,
Está, todo o amor de um homem,
Que sofreu muito pra te esquecer!

Se isso não for verdade.
Acalme-se! não tenha pena!
Ainda estarei buscando a felicidade
Na solidão de minha magoa.

9 comentários:

Wander Veroni disse...

Opa! O poema é melancólico, mas muito bem feito.

Abraço

Branca disse...

Que triste!! Mas lindo!!!!

Nova Quahog disse...

SÓ OS VAMPIROS MACONHEIROS!

Rafa disse...

Caraca lindo, esse trecho me fez respirar mais fundo

"Eu, não tenho tudo que quero,
Mas tenho tudo que posso ter.
Assim que eu busco a paz de espírito"

só acho que podia usar imagens para interagire mais, dar ao leitor mais concretude de seu unoiverso poético...Mas sua produção é muito boa, ótima!

parabéns pelo blog

http://cemiteriodaspalavrasperdidas.blogspot.com/

luiz scalercio disse...

bellissimo poemas gostei
muito.
prbns seu blog .

Caroline Mendes disse...

Muito bonito...
Gostei também do poema da outra postagem, "Estações".

Buh: disse...

Muito Maaara!
Parabéns pelo blog.
Vi pelo orkut, já tô seguindo! Beijo =*

Jefferson Reis disse...

Gostei muuito...faz o meu tipo!

1 Lênin 1 Blog! disse...

que triste voçê