quinta-feira, 2 de abril de 2009

Aceite-me como eu sou.


Não venho com garantia...
nem tenho a pretensão,
de ser alguém perfeito.
Toda a perfeição não posso ter.

Eu sou como você:
sou da espécie humana,
sou capaz de errar.
O erro não é falha de caráter
e errar faz parte da Natureza Humana.

Eu vivo.
Eu sorrio.
Eu também aprendo!
Meu conhecimento é incompleto.
Estou na busca o tempo todo,
nas horas acordadas e nas horas de sono.

Eu tenho um longo caminho a ser percorrido,
assim como você também tem.
Aprendemos nossas lições pelo caminho.
Atingiremos a Sabedoria.

Assim, por favor,
aceite-me como sou!
Porque eu sou só eu.
Apenas eu.


Não há ninguém igualzinho a mim no mundo.
Esta é a única garantia que dou.
É assim que eu me sinto.
Eu tenho um coração.
Abra-me e veja-o!
Por favor , cuide bem dele.
Ele é tudo que eu sou.
Apenas eu.

7 comentários:

Gisela Melloso disse...

ok ok, eu entendiiiiiiiiiii
rsrsrsrsrsrs
nossa que bonito a forma que vc coloca em poesia o nos aceitar como somos!!!
Gostei muito de sua forma de escrever.

Parabéns e forte abraço

Mafia171 disse...

poesia muito manera

Bruno R.Ramos disse...

Muito louco... Maneiríssimo. Textos bem casados com as imagens. Tudo que a galera mais quer ver...
Parabéns!

Bruna disse...

Caaraa ameeii ♥
Paraabeens ameiin muiitoo
otimooo

╬ Nothing has sense ╬ Felipesfr disse...

muito bom...

nós erramos... e isso não significa nada mais do que nossa fragilidade...

a sociedade a nossa volta nos exige resultados, quando na verdade o que importa não é o que produzimos, mas o que somos...

bem-aventurado é quem achou pelo menos alguem que nos olha não pelo que produzimos, mas pelo que somos de verdade...

perfeito seu poema

jaka disse...

eu tenho coraçao de papel!

Leo Pinheiro disse...

Meio Hans Chrisntian Andersen para adultos...

Uma questão de auto-estima!

P.S.: SE QUISER, RETRIBUA ESTE COMENTÁRIO!

TÊM 155 POSTS AO SEU DISPOR...

ABÇ, http://ocri-critico.blogspot.com/