segunda-feira, 20 de abril de 2009

Minha outra vida

Vejo almas morrendo naquele momento,
Ouço gritos de dor e sofrimentos,
Lamento-me, lamento,
Pelas almas que estão sofrendo no momento.
Em minha fria face congelada pelo tempo eu já...
Não agüento... Não agüento...
Tanto sofrimento.
Almas a gritar eu a chorar, a implorar por um pouco de paz,
Paz que eu já tive, e será que terei novamente?
Errei o caminho agora irei de pagar.
Desejo um pouco de luz, pois,
Minha alma já não ver, e meu corpo já não sente a tua presença,
Agora nada me resta fora, mas dentro existe um pouco de...
Esperança, coagulada no canto da minha outra vida

8 comentários:

Manu Castro™ disse...

adorei seu blog. textos bem elaborados e coesos.

parabéns!

luiz disse...

q sinistro
mais eu gostei
rs
xD

se puder
http://sonabrisa.nomemix.com/

Richard disse...

É o que realmente você está sentindo nesse momento?
Esse blog mostra realmente o que tem dentro de você? ou quem vcoê quer ser?

eu-amo-a-ey disse...

A idéia que nos passa é da idealização de um outro mundo.

Gúh! disse...

medo da foto O.O


Texto muito bom

Branca disse...

Nossa!! O__O'

Bizarro...

Nah disse...

muuito legal o texto *--*

Online na web disse...

Poema triste ese hein. Mas bem escrito.
Abraços