domingo, 19 de abril de 2009

Madrugada

O sangue percorre meu corpo
Um silêncio percorre os segundos
Não sinto meus pés no chão
Sinto é um vazio imenso na alma
Uma extrema calma
Eu quero chorar e gritar
Eu quero é sumir
E caminhar na escuridão
Com o coração quebrado e sangrando
Rasgando de solidão
Vago no céu estrelado
Acabou a noite , e chegou a madrugada
Eu choro em lágrimas de sangue
Por não Ter a liberdade
Por ficar só na vontade
De poder vagar mais alto
Em trevas imensas
Em noites densas
Sob os sepulcros vazios
Agora paro, sento em um telhado
Reparo a noite, acabou a madrugada
Dormirei aqui, sob a lua
Minha branca lua
Como eu ...
meus olhos se fecham
e minha alma vaga... e assim, pra mim...
continua a madrugada...

8 comentários:

Luxus disse...

Adorei a poesia...

Lemon Blog disse...

intenso.
parabens!


http://sasdelli.blogspot.com/

Fábio Flora disse...

Seu poema é uma ode à madrugada dos mortos, à escuridão. Abraços e sucesso com o blog!

Jefferson Prime disse...

legal...remeteu aos meus tempos de rpg...Vampiro A Mascara e outras bobagens...

Onaldo disse...

Entrei em seu blog pra ser seu seguidor, mas tenho que dizer-lhe o quanto amei a sua poesia densa e suave, num senido mais absoluto!

Blog em Português: http://goiaschaopoemadobao.blogspot.com/
Blog in English: http://onaldoscorner.blogspot.com/

diomar disse...

Poesia mto legal,apesar de não gostar mto deste genero.mas o blog é mto bom parabens.

30 e poucos anos. disse...

Bem escrita apesar de não curtir muito o tema

luiz disse...

bem intensa a poesia
xD

se puder
http://sonabrisa.nomemix.com/